Home » » Rafaela, e o cuzinho virgem

Rafaela, e o cuzinho virgem


Depois dos eventos do conto anterior com Rafaela, eis aqui, mais aventuras das minhas ultimas férias lá no sul do nosso querido país. 

***

Continuando o que havia contado outro dia, sobre o meu primeiro encontro com Rafaela, uma das amigas dos meus amigos fotógrafos la de Porto Alegre.

Depois da foda, ela foi pro banho, eu fui logo em seguida, ainda trocamos alguns beijos quentes. Depois que sai do banho, comemos qualquer coisa e fomos dormir.

Logo de manhã, ela ja veio subindo em cima de mim, me flagrou de pau duro e foi logo me falando no ouvido:
_Esta sonhando comigo, Sr. Edgar? 

Foi inevitável abaixar a minha cueca e tirar a calcinha da fogosa gordinha. Quando corri para apanhar a camisinha, que deixei na sala na noite passada, ela já estava de quatro na cama, me esperando.
_Gostei dessa posição da noite passada, quero repetir. 



Com aqueles dedinhos gordinhos abrindo a buceta, eu não resisti, vesti a camisinha e botei meu pau para dentro.

Ela gemendo alto, louca, começou a rebolar freneticamente. Enquanto eu metia naquela bucetona gorda de Rafaela, ela me olhava, com a boca aberta, gemendo de tesão.

Depois que ela gozou, eu comecei a bombar com mais velocidade, até gozar.
Sua buceta ficou inchada.

Fomos para uma padaria tomar café, depois de um longo banho juntos. E então cada um foi para seu lado.

Liguei para o meu colega para agradecer por te-la levado no jantar ontem a noite. Ele que agradeceu por manter a gordinha com a vida sexual ativa.

Voltei para meu apartamento, os nossos serviços de fotógrafos já haviam acabado por enquanto, meu amigo estava procurando algum outro portfólio adicional que poderíamos fazer mas, o serviço acabou sendo feito por outra pessoa, portanto, eu estava ali em Porto Alegre agora sem ter o que fazer.

Ou melhor, sem nenhum trabalho, já que,ter o que fazer eu sempre tinha, com o telefone de Rafaela e com o telefone de Marcelo e Marcela, o casal que combinei com eles uma foda, assim que chegasse em porto alegre.

Quando estava prestes a ligar para o casal liberal, recebi a ligação de Rafaela, me perguntando o que eu ia fazer naquela noite.

Claro que sai com ela de noite, fomos para o meu apartamento no final do passeio, e acabamos metendo mais uma vez. Para variar, mais uma vez de quatro.

Mas dessa vez, abusei da boa vontade da gordinha, deu um novo cuspe no cuzinho da garota e mais uma vez meti-lhe o dedo indicador la dentro. Dessa vez ela não se incomodou de primeira. Continuei metendo, bombando em sua xoxota carnuda e comecei a mover o meu dedo indicador, para dentro e para fora de seu cu. Só depois de uns 10 vai e vem ela tirou o meu dedo de lá. Inclinou todo o corpo quando tirei meu dedo do seu cuzinho.

Ela sabia que eu estava interessado no cuzinho dela, mas ela não ia falar nada sobre isso.
Gozei dentro dela de novo, com ela de quatro na minha frente. Comecei a falar mais bobagens em seu ouvido, e ela pediu para meter novamente de quatro comigo.

_Claro que podemos foder de quatro de novo, gostosa. 
_Ok. 

Ela ficou na posição. Enfiou a cara no meio dos travesseiros.


Meu pau continuou duro, só troquei a camisinha, ainda me restavam poucas, mas tinha camisinhas o suficiente para Rafaela. E quando fui colocar o meu pau na sua buceta, fui passando ele bem devagar em cima do seu cuzinho.

Ela tremeu o corpo todo, e se arrepiou. Seus pelinhos se levantaram todos. Achei engraçado, continuei passando meu pau em cima de sua buceta e indo para o seu cuzinho apertado.
E ela ficava arrepiada.

Mais uma vez, enfiei meu pau dentro da sua buceta, e mandei ver o meu dedo no seu cuzinho. Porem, dessa vez ela não se incomodou. Deixou o meu dedo lá, entolado no seu cuzinho durante a foda toda.

Ela ia gemendo alto, mesmo com a cara enfiada no travesseiro eu conseguia ouvir os seus gritos de prazer. Ela rebolava e ficava cada vez mais quente com meu pau dentro de si.




Meu dedo indicador já havia entrado quase metade, sentia seu cu muito apertado, esmagando meu dedo lá dentro. Mandei outro cuspe e continuei com as bombas na buceta, e com as dedadas no cuzinho.
Gozei em sua buceta, e continuei masturbando o seu cuzinho. Ela continuou com os gemidos, nem se moveu, apenas movia o quadril, e continuava com os gemidos.


Meti minha cara ali na buceta dela, comecei a chupar o seu clítoris  Sua buceta estava muito molhada, escorria goza pelas pernas, e no seu cu, senti contrações.

Então ela pediu para eu tirar o dedo.

Quando tirou a cara do meio do travesseiro estava com olhos lacrimejados, mas me beijou, um beijo demorado, muito apaixonado, e então me contou seu segredo:

_Nossa, eu estava reservando meu cu para depois do casamento, mas, voce me vez delirar Edgar. 

Sorri para ela, queria saber o que ela estava planejando, mas infelizmente nao seria dessa vez:
_Apesar de ter gostado da penetração com o seu dedo, nao vai ser agora que eu vou perder a virgindade do cu.

Beijei a testa da fofinha, nao ia forçar a barra, afinal de contas, eu poderia estar sozinho e me masturbando naquele momento, era sorte minha estar com uma garota louca por sexo.

Pela manhã, começou tudo de novo, mas dessa vez, ela me deu uma noticia um tanto quanto triste. Ela havia me dito que estava com alguns trabalhos atrasados na faculdade, e que não íamos poder nos encontrar nos próximos dias. Mas que ainda íamos nos ver antes de eu ir embora.

Concordei, claro. Queria apenas concordar para dar mais uma foda com ela. Apanhei mais uma camisinha do meu pacote de 8, restava apenas mais uma. Apunhetando-me, quando me virei para vê-la, ela veio com toda a graça do mundo me fazendo uma deliciosa espanhola.

Depois da espanhola matinal, veio abocanhando meu pau duro, e já encapuzado. Começou a me chupar como não havia feito antes. Segurei seu cabelo e dei algumas metidinhas para dentro da sua boca. Ela pareceu gostar, já que riu.

Abriu as pernas para eu entrar, e eu comecei a meter dentro de sua buceta, ainda com aquele mesmo corte de pelos pubianos. Ela não parava de repetir o meu nome enquanto eu metia na sua buceta carnuda e molhada. Tomei a liberdade de dar algumas bombadas fortes na sua buceta, ja que ainda ia demorar para eu gozar, e ela parecia estar adorando os movimentos com o quadril que eu estava fazendo.

Foi quando eu senti o seu dedo próximo ao meu saco, tirei meu pau por um segundo e notei que ela estava com o dedinho indicador passando pela portinha do cuzinho.

Foi a coisa mais feliz que ja vi na vida, afinal, ela havia adorado o dedo no cuzinho.


Falei para ela ficar de quatro, ela obedeceu rapidamente, afinal, é a posição  preferida da louquinha.
Comecei a passar o meu pau por cima da sua buceta, e então tomei a liberdade de forçar a barra, coloquei a cabeça do meu pau em cima do seu cuzinho, e comecei a penetra-lo, bem devagar.



Ela já estava molhada o suficiente, a cabeça do meu pau entraria sem dificuldades. Ela continuava gemendo, como se eu estivesse bombando na sua buceta. Notei que, enquanto eu tentava enfiar a cabeça do meu pau no seu cuzinho apertado, ela começava a masturbar sua buceta, ainda mais rápido  mais rápido  com seus dedinhos em cima do seu clítoris.


Como ela pareceu não se importar, continuei tentando botar o meu pau em seu cu, quando finalmente consegui colocar a cabeça, ela retorceu todo o corpo, tirando meu pau do seu cu.

Fingi que nada aconteceu e continuei metendo loucamente em sua buceta molhada e carnuda, ja entrando em frenesi, coloquei meu dedo indicador mais uma vez dentro do seu cu, e ela gozou. Ejaculou em cima do meu pau.

Tirei meu pau, também havia gozado com todos aqueles movimentos e contrações que ela deu quando enfiei meu dedo novamente. Ela estava descadeirada  e provavelmente se lembraria daquela foda por muito tempo, até perder a virgindade do cu para sempre.



 
Support : Copyright © 2015. PUTAS ESPERANDO O COMEDOR - All Rights Reserved